Cade pede que Globo seja investigada por suposto monopólio para barrar Netflix

Autarquia do governo federal, o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) quer que a Globo seja investigada por suposto monopólio em teledramaturgia.

Um ofício foi enviado pelo órgão ao procurador-geral Walter Agra, solicitando que seja instaurado um processo administrativo “para imposição de sanções administrativas por infrações à ordem econômica”.

O documento foi assinado por Paula Farani de Azevedo Silveira, que são conselheiras do Cade. No texto, Silveira diz que, com base em notícias publicadas pela colunista Carla Bittencourt, do portal Metrópoles, a emissora vem renovando o contrato de exclusividade de uma série de atores para, supostamente, impedir que a concorrência, no caso, a Netflix, possa produzir obras com essas grifes. Entre os atores que renovaram acordo de exclusividade estão Juliana Paes, Deborah Secco, Paolla Oliveira, Marina Ruy Barbosa, Lázaro Ramos e Vitoria Strada.

Do Bahia.BA

novocardestúdio.jpg
CARROFEED.jpg
cairu007.jpeg
pilates1 (3).png
vostokfeed.jpg
cardsimple1.jpg